Notícias

Gestão Municipal

Busca

ASSUNTOS

AGENDA DO PREFEITO

<
<
<
junho - 2017
>
>
>

  • D | S | T | Q | Q | S | S
 

Vigilância Sanitária orienta população sobre cuidados ao comprar carnes

Atualizado em 20/03/2017 11:18
Órgão alerta consumidor para ficar atento à aparência e procedência dos produtos

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia, por meio da Vigilância Sanitária, dá algumas orientações para população na hora de ir ao açougue. Por ser um produto perecível, a carne pode ter a qualidade alterada por vários fatores. É necessário que se tenha alguns cuidados na compra, armazenamento, descongelamento e preparo. “Umas das orientações é que o consumidor se atente para as condições do ambiente onde produto está sendo comercializado”, afirma Robson Azevedo, superintendente de Vigilância em Saúde.

De acordo com a Vigilância Sanitária, a carne deve ser exposta em balcão frigorífico, pendurada em ganchos de alumínio ou inox, a uma temperatura de 7º C, ou menor, no interior da peça. Medidas como a limpeza do local e uso de toucas, jalecos e outros equipamentos pelos funcionários também devem ser obedecidas. “E o mais importante, o local deve ter o Alvará Sanitário”, lembra o superintendente. Ainda de acordo com Robson, para a fabricação de embutidos (salsichas, presunto, salame, mortadela), é necessário ter um alvará sanitário especial, que ateste a execução das normas para fabricação desses produtos.

A venda de carnes pode ser a granel, bandeja ou a vácuo. Em todos os casos, é preciso verificar textura e cor do produto. Segundo Robson, “a coloração da carne é a principal característica a ser observada”. A cor é o indício de como o animal foi abatido, como a carne foi conservada, manipulada, se é fresca ou não, além de indicar uso de produtos químicos. “O ideal é que o alimento tenha a coloração entre vermelho púrpura/cereja e o vermelho brilhante”, orienta Robson.

É necessário ainda observar a etiqueta e rótulos dos produtos. As datas de fabricação e validade (contendo dia, mês e ano), informações nutricionais, além do nome, endereço e CNPJ da indústria produtora; selos de Inspeção (Municipal, Estadual ou Federal) precisam estar legíveis.

Os consumidores que encontrarem irregularidades sanitárias como falta de higiene e produtos vencidos e estragados podem denunciar pelo sistema de atendimento @156 presente no Portal da Prefeitura de Goiânia ou ainda procurar os Procon Municipal e Estadual e a Delegacia do Consumidor (Decon). Caso as irregularidades forem confirmadas, os estabelecimentos podem ser multados e os responsáveis responderem por crime de saúde pública e de relação de consumo.

Leticia Cabral, da editoria de Saúde Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)
Foto: Anna Lúcia Almeida

Voltar