Notícias

Gestão Municipal

Busca

ASSUNTOS

AGENDA DO PREFEITO

<
<
<
maio - 2017
>
>
>

  • D | S | T | Q | Q | S | S
 

Comurg e MP promovem segunda etapa do Projeto Construindo Possibilidades

Escrito em 20/04/2017 17:24
Ação busca prevenir e enfrentar a violência doméstica contra as mulheres por meio da conscientização do público masculino

A Prefeitura, por meio da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), lançou a segunda etapa do Projeto Construindo Possibilidades, do Ministério Público de Goiás. O objetivo é integrar o público masculino às ações de prevenção e enfrentamento à violência doméstica contra a mulher e esclarecimentos sobre o tema e orientações sobre a Lei Maria da Penha.

O evento, idealizado pela promotora de Justiça Rúbian Corrêa Coutinho, também coordenadora do Núcleo de Gênero do MP-GO, e pela coordenadora do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos (CAODH), Patrícia Otoni, foi sediado no auditório da companhia e tem como público-alvo os servidores da limpeza e coleta. Todo o trabalho é realizado em parceria com o Núcleo de Inclusão e Promoção Social da Comurg, coordenado por Anadir Cezário, que reforça a importância social da proposta, já que envolve homens e mulheres na busca mútua pela respeito e combate à violência.

Na primeira fase do projeto, desenvolvido em 2016, 1.654 servidores participaram das palestras, em 31 encontros. Esta segunda fase prevê cerca de 44 encontros e participação de mais de 25 Pontos de Apoio (PAs), até o final de agosto deste ano. Para reforçar o aprendizado, o projeto distribui gratuitamente um material complementar às palestras englobando uma cartilha elaborada pelo MP sobre a Lei Maria da Penha, um folder voltado ao público masculino (Papo de Homem) e uma cartilha sobre abuso sexual infantil.

Iniciativas como esta são de suma importância, na opinião do presidente da Comurg, Denes Pereira, que reforça a desconstrução do machismo dentro e fora da companhia. “O nosso intuito é sensibilizar os servidores a fim de que possam multiplicar ações de companheirismo e diálogo com as mulheres, refletindo no âmbito familiar”, pondera.

Márcia Tormim - da editoria de Urbanização - Secretaria Municipal de Comunicação (Secom)


Voltar