Notícias

Gestão Municipal

Busca

ASSUNTOS

AGENDA DO PREFEITO

<
<
<
setembro - 2019
>
>
>

  • D | S | T | Q | Q | S | S
 

Prefeito Iris Rezende abre a 10ª Conferência Municipal de Saúde em Goiânia

Atualizado em 13/03/2019 21:38
Até o dia 16 de março próximo, entidades ligadas à saúde na Capital vão debater e reunir propostas para a melhoria e o desenvolvimento de políticas públicas do SUS em Goiânia

De hoje, 13, até o próximo sábado, 16, a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia, juntamente com os Conselhos Municipal, Estadual e Nacional de Saúde, além de representantes de todos os segmentos locais envolvidos no SUS, vão debater e discutir políticas públicas de saúde, com o objetivo de contribuir para um sistema único de saúde melhor, mais justo e de qualidade.

Durante os quatro dias, serão abordados quatro eixos temáticos: Consolidação dos Princípios do SUS, Saúde como Direito, Financiamento Adequado e Suficiente para o SUS e Promoção da Saúde.

A cerimônia de abertura ocorreu no início da noite desta quarta-feira, 13, no Salão de Eventos do Centro de Aulas D, da UFG, situado no 5º andar do prédio situado na Primeira Avenida, no Setor Universitário em Goiânia. Além da presença da secretária Municipal de Saúde, Fátima Mrué, de vereadores e dos representantes dos conselhos de saúde, o evento foi prestigiado pelo prefeito Iris Rezende.

Em seu discurso, o prefeito de Goiânia lembrou das dificuldades herdadas no início da sua gestão, ressaltou o esforço da secretária Fátima Mrué para restabelecer a normalidade da saúde municipal e lembrou que Goiânia é uma das poucas cidades do país, senão a única, a aplicar mais de 20% da sua Receita Corrente Líquida em ações e serviços públicos de saúde.

“Recebi a prefeitura de Goiânia com dívidas imediatas que ultrapassavam R$ 600 milhões, um déficit mensal de R$ 31 milhões e uma folha da saúde em aberto. Não titubeei, paguei os servidores da saúde e não paramos um minuto sequer de pensar e trabalhar pela saúde da nossa Capital. Hoje, Goiânia deve ser a única cidade do país que aplica em saúde mais do que manda a Constituição Federal. A lei manda o município aplicar 15% da sua receita corrente líquida. Nós estamos aplicando quase 21%, são milhões a mais do que o mínimo”, explicou.

Cerca de 500 delegados e delegadas, sendo 50% deles representantes dos usuários, 25% dos trabalhadores do SUS e os outros 25% representantes dos gestores e prestadores de serviços em saúde, devem participar da conferência.

A 10ª Conferência Municipal de Saúde de Goiânia leva o nome de “Irmã Katherine Marie Popowich”, uma homenagem à religiosa missionária reconhecida por sua dedicação à saúde púbica, falecida em abril de 2012. Este ano, o tema abordado é Democracia e Saúde: Saúde como Direito e Consolidação do SUS.

As propostas aprovadas em plenária em Goiânia serão apresentadas na Etapa Estadual da Conferência e posteriormente na Conferência Nacional de Saúde que será realizada em agosto, em Brasília.

“Esta é a oportunidade para que gestores, prestadores de serviços, usuários e trabalhadores contribuam para um SUS melhor, mais justo e de mais qualidade. É a partir das propostas apresentadas aqui que poderemos definir políticas públicas de saúde mais eficazes”- afirma a Secretária Municipal de Saúde, Fátima Mrué.

Uma das inovações desta Conferência é a realização da 1ª Mostra Científica, na qual serão apresentados trabalhos de acordo com os eixos temáticos.

Cloves Reges, da Diretoria de Jornalismo


Voltar

Endereço: Av. do Cerrado n° 999 Bl.'F'  - APM 09 - Park Lozandes - Goiânia/GO - CEP: 74884-092

                Fones: 3524-1000  /  3524-1001

                 3524-1002  /  3524-1003

                Fotos Flickr: photos/iris20172020